sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Desvendando alguns mitos do Pompoar

Recebi a seguinte pergunta no Formspring: "Qual o anel da vagina que devo movimentar para cortar uma banana?"

Não seria mais prático ou mesmo mais higiênico usar uma faca? Quem prática o pompoar depois de muito treino com o tempo pode fazer coisas surpreendentes como: fumar, jogar bolinhas, cortar banana e etc... Mas não é necessário toda essa “pirotecnia” para se obter benefícios a saúde ou ter mais prazer durante o ato sexual. Recentemente comentei no twitter que o pompoarismo é muito mais do que simples contrações.

Um exemplo disso é Tatiana Kozhevnikova de 42 anos, tem exercitado seus músculos íntimos durante 15 anos e seu esforço (literalmente) deu certo. Seu nome aparece no Guiness – O Livro dos Records com esse título aí: “a vagina mais forte do mundo”. Ela conseguiu a façanha de levantar 14 kg com ela. “Depois que tive meu filho, meus músculos íntimos ficaram muito fracos. Foi aí que eu li e aprendi que as mulheres de antigamente lidavam com seus problemas usando bolas de madeira”, diz.


No bairro de Patpong, a lendária zona da “luz vermelha” de Bangcoc na Tailândia já se tornou uma atração turística tão obrigatória quanto os templos ou barraquinhas de insetos comestíveis justamente pelos shows de “Pompoarismo”.  

Segue o relato de quem já viu ao vivo: a Jornalista Adriana Setti, autora do livro: De Mala e Cuia - Tudo o que você precisa para morar, estudar, trabalhar e se divertir na Europa (Editora Jaboticaba).

No palco, uma menina dançava meio desengonçada com o mesmo ânimo de uma ascensorista apertando o botão do térreo pela octogésima nona vez no mesmo dia. E, de repente, com a mesma empolgação vegetal, começa a tirar uma fitinha colorida de…. lá. Aproveito o breve intervalo para dar uma conferida no público.

Ao invés de homens salivantes sedentos por sacanagem, a platéia mais parece um jardim da infância. Dos comportados. Num cantinho, japoneses assistem ao show com a mesma frieza com que fotografam a Monalisa no Louvre. E espalhados por quase todo o recinto, europeus recém-saídos da puberdade dão risadinhas crentes de que estão fazendo a maior levadezinha de suas breves existências.

Mais uma pompoarista sobe ao palco. E outra… que não consegue acertar a bolinha de ping-pong dentro do copinho e sai sob vaias e uivos. A seguinte chega confiante, e pede para um voluntário da platéia segurar uma bexiga branca. Meu namorado se prontifica.

Então ela abre as pernas, e lança de dentro de “si” (com a ajuda de uma zarabatana) um dardinho de papel, que supostamente teria que fazer a bexiga estourar. Porém, a falta de mira ginecológica da menina faz com que aquilo vá parar no meu cabelo! Entre uma gargalhada histérica e a vontade de assassinar o cidadão segurador de bexigas, me desvencilho daquela “coisa” enquanto ouço, por fim, o diabo do balão explodir.”

Estes são exemplos do que somos capazes de fazer. E algumas pessoas imaginam que uma verdadeira pompoarista é aquela que só falta fazer milagre com sua vagina. ISSO É MITO! Não é necessário chegar a tanto, e posso garantir com toda certeza que um simples beijinho dado por sua vagina durante o sexo oral já vai fazer muiiiiiiiiiiito sucesso!!

Bjocas da Lu Riva !! =(^_^)=

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Quer fazer Pós-Graduação em Sexualidade? Saiba onde procurar!


Todo final de ano, Paulo G. P. Tessarioli, psicólogo com Título de Especialista em Sexualidade Humana (TESH), é convidado a lecionar a temática "Sexualidade e Qualidade de Vida" para os alunos do curso de Pós-Graduação, Lato Sensu, em Educação Sexual do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL).

"É possível falar de sexualidade em muitos lugares, desde que o interlocutor tenha conhecimento e principalmente seriedade no que faz!", comenta Tessarioli com uma das alunas do curso, ao final de sua temática. Nesta turma de alunos, todos muito receptivos e interessados, temos educadores, salesianos, psicóloga e até jornalista.

Existem poucos cursos de Pós-Graduação na área da Sexualidade e estes poucos, muitas vezes, não contam com um corpo docente realmente especializado na área da sexualidade. Segundo Tessarioli, "a especialização em sexualidade capacita o profissional a trabalhá-la a partir do seu próprio prisma que é, na sua origem, interdisciplinar e multiprofissional".

O curso de Pós-Graduação do Centro Universitário Salesiano de São Paulo tem a supervisão do Padre Ronaldo Zacharias, Doutor em Ética da Sexualidade e Diretor do Campus Pio XI e da Ana Cristina Canosa Gonçalves, Psicóloga, Educadora Sexual e Terapeuta Sexual. As matrículas para 2011 já estão abertas, acesse: www.pio.unisal.br/poseduca e confira!

Vale salientar, que a partir de março de 2011, inicia-se o curso de Pós-Graduação em Sexualidade: Saúde e Educação, desenvolvido em parceria com a Vivendo Melhor, consultoria em Saúde e Educação e que tem como Coordenadora Pedagógica a Profª. Mestre em Educação e Educadora Sexual Graça Margarete S. Tessarioli e como Coordenadora Geral a Profª. Drª. Ana Lúcia Cavalcanti. As matrículas já estão abertas, acesse: www.unip.br/ensino/pos_graduacao/latosensu/presenciais/sexualidade.asp e confira!


Via Blog do Programa Affair Com Você